Descalvado, 21 de Julho de 2018 Busca:   
Geral

Pesquisa da USP muda alimentação de gado e obtém carne mais saudável

03/02/2014

Teste com o produto reduziu nível de colesterol de idosos em até 13%.
Estudo feito em Pirassununga, SP, propõe ração com vitaminas e minerais.



Um estudo da USP de Pirassununga (SP) desenvolveu uma carne bovina mais saudável. Pesquisadores da Faculdade de Engenharia dos Alimentos enriqueceram a ração servida ao gado com minerais e vitaminas. Com isso, os nutrientes passaram para a carne. Após um teste feito em um asilo, ficou comprovada a diminuição do nível de colesterol em 13% nos idosos. Empresas já demonstraram interesse, mas ainda não há uma previsão de quando o produto estará à venda nos supermercados.

Durante três meses, os bois comeram quatro tipos de ração. Uma enriquecida com óleo de canola. A outra mistura teve vitamina E e selênio, um mineral. A terceira dieta recebeu os três suplementos, enquanto um grupo de animais comeu só a ração tradicional, à base de milho e soja.

Depois do abate, as carnes foram analisadas no laboratório e os resultados comprovaram um produto mais saudável. “Houve a redução do colesterol na carne e nós esperamos que esse mesmo processo aconteça com os idosos que irão consumir o alimento”, disse a pesquisadora Lisia Bertonha.

Segundo o professor Marcus Antonio Zanetti, a ideia foi reduzir a gordura saturada, que é ruim e pode causar doenças cardiovasculares, e aumentar a gordura insaturada, por meio da utilização do óleo de canola. “Aumentamos também o teor de ômega 4 na dieta e paralelo a isso elevar o nível de selênio e vitamina E, dois importantes antioxidantes”, explicou.

Benefícios
A carne fortificada dura pelo menos um dia a mais na geladeira. O alimento apresentou ainda uma quantidade de selênio seis vezes maior que a carne comum, o que traz benefícios.

“Pode-se evitar doenças inflamatórias e melhorar a imunidade dos idosos. Existem pesquisas que têm comprovado que podem até reduzir o câncer a longo prazo, já que ele combate radicais livres”, explicou a pesquisadora.

O estudo também avaliou os efeitos da carne no homem. Idosos de um abrigo em Leme (SP) comeram o alimento três vezes por semana, durante três meses e aprovaram o sabor.

Os pesquisadores encontraram no sangue dos idosos uma alta concentração de selênio, o que aumenta a imunidade. Segundo o professor da USP, a nova carne ajuda a suprir a quantidade diária recomendada do mineral. “Um bife de 100 gramas já seria suficiente para o individuo que atingisse as suas necessidades darias totais de selênio”, disse.

Alimentos
O selênio está presente no farelo de trigo. Os nutricionistas recomendam a ingestão de uma a duas colheres de sopa por dia. O melhor é colocar o farelo sobre o prato de comida.

A castanha do pará é o alimento mais rico em selênio, basta comer uma por dia. Outra fonte importante de selênio são os peixes de água salgada. O ideal é consumir uma porção de filé ou posta de 120 gramas, no mínimo, duas vezes por semana.

G1



Voltar




 
















Notícias
Descalvado
Câmara Municipal
Esporte
Notas Policiais
Região
Brasil e Mundo
Geral
Música
Fotos
Canais
Conheça Nossa Cidade
Boca no Trombone
Horóscopo do Dia
Previsão do Tempo
Guia Rodoviário
Política Agora
Blogs e Colunas
Cozinhando com Aline
Marcos Felipe Chiaretto
Mexa-se
Utilidade Pública
Farmácia de Plantão
Balcão de Empregos
Notas de Falecimento
Guia Comercial
Consulte Multas
Interativo
Fale Conosco
Sugestão de Matérias
Anuncie no Descalvado Agora
Empregos
Fale Conosco
Descalvado Agora 2009-2018 - Todos os direitos reservados