Descalvado, 24 de Setembro de 2018 Busca:   
Geral

Pesquisadores criam plástico que evita o desperdício de alimentos

21/11/2014

Produto feito com o apoio de empresas inibe a proliferação de bactérias.
Rolo de três metros do AlpFilm Protect pode ser encontrado por R$ 38,61.



Frutas, verduras e carnes conservadas por um mês. A ideia pode parecer distante, mas um novo tipo de plástico, desenvolvido na região e capaz de conservar alimentos por mais tempo, chegará às prateleiras dos supermercados no início de dezembro e promete torná-la realidade. O produto, que ganhou o nome de AlpFilm Protect e já pode ser adquirido pela internet por R$ 38,61, foi desenvolvido com a contribuição de pesquisadores da Unesp, USP e UFSCar. Ele combate a proliferação de fungos e bactérias nos alimentos embalados, evitando o desperdício.

Para Elson Longo, pesquisador da Unesp de Araraquara e um dos integrantes do estudo, o plástico é um exemplo da “tecnologia do futuro” por garantir o transporte de alimentos com minimização das perdas e sem bactérias.

“Hoje você deixa uma maçã na geladeira e ela dura uma semana. Com o plástico, no qual há um composto bactericida e fungicida, a mesma maçã dura um mês”, disse o professor ao G1. “As perdas de alimentos no mundo são muito grandes. Perdem as donas de casa e também o país. Com essa tecnologia, é possível evitar o desperdício e pressionar o sistema para a diminuição dos preços dos mantimentos”.

Desenvolvimento
Segundo Longo, as pesquisas que resultaram no AlpFilm começaram há seis anos, quando Luiz Gustavo Simões, atualmente sócio da Nanox e na época seu aluno, defendeu sua tese de doutorado sobre nanopartículas bactericidas.

De lá para cá, a parceria rendeu o desenvolvimento de partículas para secadores de cabelo e para tapetes, entre outras, e, há um ano, surgiu a ideia de criar um produto voltado para embalagens.

“Começamos pensando em itens para a área da odontologia e, passado algum tempo, surgiu a ideia de fazer embalagens para diferentes finalidades. Entramos em contato com a Alpes, fabricante de plásticos, e deu certo”.
Durante um ano, pesquisadores das universidades, da Alpes e da Nanox e se revezaram em laboratórios de São Carlos e Araraquara ligados ao Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF) até chegarem ao composto final, um produto pioneiro e genuinamente nacional. “As pessoas acham que não se desenvolve alta tecnologia no Brasil, mas não é verdade”, completou Longo.

G1



Voltar




 
















Notícias
Descalvado
Câmara Municipal
Esporte
Notas Policiais
Região
Brasil e Mundo
Geral
Música
Fotos
Canais
Conheça Nossa Cidade
Boca no Trombone
Horóscopo do Dia
Previsão do Tempo
Guia Rodoviário
Política Agora
Blogs e Colunas
Cozinhando com Aline
Marcos Felipe Chiaretto
Mexa-se
Utilidade Pública
Farmácia de Plantão
Balcão de Empregos
Notas de Falecimento
Guia Comercial
Consulte Multas
Interativo
Fale Conosco
Sugestão de Matérias
Anuncie no Descalvado Agora
Empregos
Fale Conosco
Descalvado Agora 2009-2018 - Todos os direitos reservados