Descalvado, 16 de Novembro de 2018 Busca:   
Região

Ladrão se passa por benzedor e furta

05/12/2014

Pelos menos duas aposentadas caíram no golpe do estelionatário.
Polícia analisa imagens de câmeras para tentar identificar o suspeito.



Um homem que se passou por benzedor e furtou joias e dinheiro de ao menos duas casas de idosas em Brotas (SP), segundo a Polícia Civil. O suspeito entrou nas residências afirmando que iria abençoar o local. Enquanto as fieis rezavam, ele pegou os objetos de valor, inclusive um cartão de crédito de uma delas. A polícia analisa a gravação feita por câmeras de segurança de uma loja na cidade de Torrinha (SP), próxima ao município de Brotas, onde o golpista fez compras usando o cartão da vítima, para identificar o suspeito.

A aposentada Maria Thereza de Almeida Pinotti, de 81 anos, contou que a imagem do estelionatário não sai de sua cabeça. “Ele é moreno claro, cabelo cheio, bem vestido, sabe conversar. Eu nunca iria desconfiar”, disse.

O homem bateu na porta da casa dela durante o dia, disse ser benzedor e pediu para que ela colocasse joias e dinheiro em cima da mesa. “Ele disse que ia benzer, pediu para colocar os remédios, a bolsa e as carteiras em cima da mesa, por causa do dinheiro. Ele não quis uma corrente porque não era de ouro”, relatou.

A prima da aposentada chegou, mas o estelionatário conseguiu distrair as duas, pegou o que queria e foi embora. “Enquanto ela foi pegar o copo de água lá embaixo, ele pediu para eu pegar um também. Ele roubou dinheiro, joias e o cartão do banco”, contou a aposentada.

Outra vítima
Outra senhora de 90 anos também caiu no golpe. O homem entrou na casa dela e agiu da mesma forma. Uma amiga da mulher procurou o padre Sandro Portela, da Igreja Matriz da cidade, e contou o que havia acontecido. “Ele disse que iria passar para dar uma benção nessa época de final de ano, preparativos de Natal, aí pede objetos e leva embora”, contou.

O padre alerta que esse tipo de trabalho não é feito pela igreja católica. “Nós temos visitas missionárias, fazemos visitas às casas, mas sempre por pessoas conhecidas. Mesmo quando fazemos semanas missionárias, não pedimos objetos e nem para entrar. A conversa é feita no portão”, explicou.

A aposentada Aparecida Bianchin Martineli mora na cidade há 20 anos e contou que o local sempre foi tranquilo. No entanto, está com medo e passou a trancar o portão. “Com medo, porque fiquei apavorada”, lamentou.

G1



Voltar




 
















Notícias
Descalvado
Câmara Municipal
Esporte
Notas Policiais
Região
Brasil e Mundo
Geral
Música
Fotos
Canais
Conheça Nossa Cidade
Boca no Trombone
Horóscopo do Dia
Previsão do Tempo
Guia Rodoviário
Política Agora
Blogs e Colunas
Cozinhando com Aline
Marcos Felipe Chiaretto
Mexa-se
Utilidade Pública
Farmácia de Plantão
Balcão de Empregos
Notas de Falecimento
Guia Comercial
Consulte Multas
Interativo
Fale Conosco
Sugestão de Matérias
Anuncie no Descalvado Agora
Empregos
Fale Conosco
Descalvado Agora 2009-2018 - Todos os direitos reservados