Descalvado, 15 de Novembro de 2018 Busca:   
Região

Prefeitura de Conchal, SP, intensifica combate à febre maculosa após morte

22/01/2015

Estudo apontou a presença de carrapatos contaminados em pontos da cidade.
Veterinário enumera cuidados necessários para evitar proliferação da doença.



A Prefeitura de Conchal (SP) intensificou o combate à febre maculosa após a morte de Benedito Donizete de Souza, de 48 anos. Uma pesquisa realizada por equipes de controle de endemias de Campinas depois do caso fatal comprovou a presença do carrapato transmissor da doença em vários locais da cidade e levou o município a adotar medidas para evitar novas ocorrências.

Benedito morreu após sentir fraqueza e apresentar febre alta. Ele foi levado ao hospital, onde os médicos suspeitaram de dengue e passaram a solicitar um leito em unidades de terapia intensiva (UTI) da região. “Conseguiram vaga em Araras, mas já era tarde”, disse o irmão Celso de Souza. Ele acredita que Benedito foi picado em outubro, quando carpia o mato na chácara onde trabalhava com o pai e onde capivaras passavam a noite.

Depois da morte do lavrador, funcionários da área da saúde ficaram preocupados e entraram em ação. Foi realizado um levantamento em lugares de maior risco, como as áreas rurais e o lago municipal, que abriga mais de 70 capivaras, e o resultado constatou a presença do carrapato estrela contaminado com a bactéria Rickettsia rickettsii, responsável pela febre maculosa.

Foram distribuídas placas que alertam a população e equipes da Prefeitura foram acionadas para cortar o mato de áreas verdes pelo menos uma vez por mês. Além disso, a Secretaria de Meio Ambiente pediu ao departamento dedicado à fauna do Estado de São Paulo orientações sobre o manejo correto das capivaras e a instalação de cerca no rio de onde elas vêm. “No nosso parque existem alguns animais que a Prefeitura trata, então as capivaras vêm até aqui com o intuito de se alimentar”, explicou a engenheira ambiental Bruna Fadel Tarossi.

Enquanto o espaço, que recebe diariamente mil pessoas, não é cercado, é preciso tomar algumas medidas para evitar a contaminação. “Venha com roupas mais claras, use meias e evite ficar sentado por períodos prolongados na beirada do lago até que a gente consiga controlar a quantidade de capivaras”, aconselhou o veterinário Júlio Cesar Galdino.


G1



Voltar




 
















Notícias
Descalvado
Câmara Municipal
Esporte
Notas Policiais
Região
Brasil e Mundo
Geral
Música
Fotos
Canais
Conheça Nossa Cidade
Boca no Trombone
Horóscopo do Dia
Previsão do Tempo
Guia Rodoviário
Política Agora
Blogs e Colunas
Cozinhando com Aline
Marcos Felipe Chiaretto
Mexa-se
Utilidade Pública
Farmácia de Plantão
Balcão de Empregos
Notas de Falecimento
Guia Comercial
Consulte Multas
Interativo
Fale Conosco
Sugestão de Matérias
Anuncie no Descalvado Agora
Empregos
Fale Conosco
Descalvado Agora 2009-2018 - Todos os direitos reservados