Descalvado, 19 de Novembro de 2018 Busca:   
Região

Com dívidas, Analândia exonera três secretários e leiloa bens do município

04/08/2015

Prefeito Rogério Ulson PMDB acredita que medidas vão equilibrar contas.
Além disso, administração pediu à Câmara aumento no crédito da cidade.




Os Secretários de Saúde, Educação e Turismo de Analândia SP foram exonerados. Além dessa, a Prefeitura afirma que vai tomar outras medidas para enxugar o orçamento, já que a cidade está com dívidas. O prefeito acredita que leilões de alguns bens e a demissão dos secretários já são suficientes para equilibrar as contas. Além disso, foi encaminhado um projeto para a Câmara Municipal pedindo um aumento de crédito no orçamento anual do município sob a justificativa de que os salários de algumas categorias foram reajustados, o que precisa ser regularizado.

A Prefeitura conta com repasses dos governos Federal e Estadual para aumenta RO orçamento e vai enviar um novo projeto para a Câmara de Vereadores. Com as exonerações dos três secretários, a Prefeitura vai economizar R$ 12 mil por mês.

A dívida ativa da cidade chega a quase R$ 2 milhões. Essa foi a forma encontrada pelo prefeito para cortar custos. “A questão é que as secretarias estão mais organizadas. Já seguem uma política de administração que está dando certo e nós entendemos que serão as áreas que menos vão sentir uma ausência momentânea e provisório da figura do secretário”, afirmou Rogério Ulson PMDB.

Outras medidas
O prefeito ainda diz que a medida de dispensar os secretários está dentro da lei e que alguns comissionados também podem ser desligados. Outra medida da Prefeitura para economizar e ainda levantar fundos vai ser leiloar alguns bens, como o carro oficial, por exemplo. “Também alguns terrenos que hoje não têm serventia para o município serão leiloados”, comentou Ulson.

A administração encaminhou um projeto para a Câmara Municipal pedindo crédito adicional no orçamento anual. O valor seria de quase R$ 6 milhões, dos quais metade deveria ser utilizada para ajustes da folha de pagamento. No entanto, o projeto foi rejeitado. O vice-presidente da Câmara explica que o valor pedido foi considerado alto. “Eu acredito que o valor continua sendo muito elevado. No meu ponto de vista, estaríamos dando um cheque em branco para que o Executivo pudesse satisfazer as intenções políticas dele”, disse José Ângelo Mattos.

Já a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais afirma que os pisos salariais foram revistos recentemente e o que tem acontecido há três meses é um atraso no pagamento dos salários. Claudete Oliveira teme que os cortes tragam prejuízos para os trabalhadores. “Isso gera desconforto para o funcionário, porque o banco não espera, ninguém espera. Poderá haver cortes adicionais, o que também para o funcionário representa um prejuízo”, falou.


G1



Voltar




 
















Notícias
Descalvado
Câmara Municipal
Esporte
Notas Policiais
Região
Brasil e Mundo
Geral
Música
Fotos
Canais
Conheça Nossa Cidade
Boca no Trombone
Horóscopo do Dia
Previsão do Tempo
Guia Rodoviário
Política Agora
Blogs e Colunas
Cozinhando com Aline
Marcos Felipe Chiaretto
Mexa-se
Utilidade Pública
Farmácia de Plantão
Balcão de Empregos
Notas de Falecimento
Guia Comercial
Consulte Multas
Interativo
Fale Conosco
Sugestão de Matérias
Anuncie no Descalvado Agora
Empregos
Fale Conosco
Descalvado Agora 2009-2018 - Todos os direitos reservados