Descalvado, 20 de Novembro de 2018 Busca:   
Região

Vereadores de Porto Ferreira discutem revogação do decreto de diminuição de jornada da Prefeitura

06/10/2015

Desde o último dia 1º de outubro, quinta-feira, os servidores municipais de diversos departamentos da Prefeitura Municipal de Porto Ferreira estão trabalhando em uma jornada menor em suas funções. A decisão da prefeita Renata Braga foi publicada pelo Decreto nº 113/2015, que dispõe sobre a redução do horário de funcionamento dos serviços da administração pública ferreirense.

Segundo a justificativa do governo municipal, ao reduzir a jornada de trabalho para 6 horas diárias, ocorre a economia em itens de energia elétrica, água, telefone e materiais/ serviços diversos. Os servidores não sofrem reduções salariais.

Após a divulgação do Decreto nº 113/2015, o vereador Miguel Bragioni, PMDB, começou a analisar a iniciativa da Prefeita e encontrou diversas ilegalidades. O vereador verificou que o Decreto nº 113 excedeu os limites da lei, ou seja, avançou a independência do Poder Legislativo, e para proibir a vigência, o representante propôs um projeto de Decreto Legislativo, medida constitucional e utilizada pelo Congresso Nacional e por Câmaras Municipais, que susta a exorbitância do Poder Executivo.

O vereador justificou que a apresentação do Projeto de Decreto Legislativo nº 3/2015 zela pelo bom cumprimento da legislação municipal. Segundo ele, a Lei Orgânica de Porto Ferreira LOM prevê que o município estabelecerá em lei o regime jurídico dos servidores, assim como a redução da jornada. Essa legislação citada na LOM está também afirmada nas leis complementares nº 37/2000 e 111/2011 Estatuto dos Servidores Públicos e Quadro de Pessoal e Evolução Funcional.

Segundo Bragioni, “o Decreto está com defeito. Minha preocupação se estende a um fato posterior: economizar água, energia elétrica, telefone é dever do Poder Executivo, contudo, se a Prefeita Municipal baixa um decreto e extrapola os limites de sua competência, esta iniciativa permitirá que num segundo momento tome medidas incompatíveis com o regular exercício do mandato. O decreto nº 113 fere os princípios da Administração Pública insculpidos na Constituição Federal. É uma medida arbitrária e populista, carente de motivação.”

De acordo com o vereador, a falta de motivação e a incoerência estão presentes nos seguintes atos da Administração Municipal:

1. No último mês, admitiu vários cargos de confiança;

2. Divulgou no dia imediato, ou durante a semana à vigência do Decreto, o Edital nº 002/2015, de concurso público;

3. Procedeu à inauguração de novos setores que causarão mais despesas.

A propositura foi lida na sessão ordinária do dia 5 de outubro, e aprovada, sendo subscrita pelo vereador Rômulo Rippa.

Miguel Bragioni reforçou o pedido para que a análise dos colegas da Casa seja urgente, tendo em vista que prejuízos ao erário, pela inobservância dos princípios constitucionais, são incontestáveis. O presidente da Câmara Municipal, vereador Luiz Antônio de Moraes, colocou em votação o pedido de urgência, que foi aprovado por unanimidade dos vereadores presentes ao plenário.

Além do projeto, o vereador apresentou o Requerimento nº 536/2015, pelo qual requer à Chefe do Poder Executivo a revogação do Decreto nº 113/2015, incluindo outras informações.


http://www.portoferreirahoje.com.br/noticia/2015/10/06/vereadores-discutem-revogacao-do-decreto-de-diminuicao-de-jornada-da-prefeitura/



Voltar




 
















Notícias
Descalvado
Câmara Municipal
Esporte
Notas Policiais
Região
Brasil e Mundo
Geral
Música
Fotos
Canais
Conheça Nossa Cidade
Boca no Trombone
Horóscopo do Dia
Previsão do Tempo
Guia Rodoviário
Política Agora
Blogs e Colunas
Cozinhando com Aline
Marcos Felipe Chiaretto
Mexa-se
Utilidade Pública
Farmácia de Plantão
Balcão de Empregos
Notas de Falecimento
Guia Comercial
Consulte Multas
Interativo
Fale Conosco
Sugestão de Matérias
Anuncie no Descalvado Agora
Empregos
Fale Conosco
Descalvado Agora 2009-2018 - Todos os direitos reservados