Descalvado, 16 de Novembro de 2018 Busca:   
Descalvado

Desfile Cívico de 7 de setembro terá 800 alunos participando

02/09/2017

Quinze escolas ao todo e mais grupos de entidades desceram pela Cel. Arthur Whitacker a partir das 9h


Cerca de 800 alunos da rede pública e privada participarão do Desfile Cívico de 7 de setembro, em Descalvado, próxima quinta-feira. A Secretaria Municipal de Educação e Cultura [SEEC] definiu o tema de 2017: “185 anos de Descalvado [1832 - 2017]: valorizando a nossa história\".

Seguindo o que sugere o tema do desfile, as escolas participantes foram orientadas a destacarem em suas apresentações fatos referentes à comemoração, com o uso de faixas e de vários objetos durante o desfile dos alunos.

Participam do Desfile Cívico 09 escolas municipais com participação também da Educação Infantil, 02 estaduais e 04 particulares: Coronel Tobias, Francisco Fernando, Dirce Serpentino, CAIC, Andrelino Casare, Padre Orestes, Edna Maria, Thereza dos Anjos e Maria Sylvia; EE José Ferreira da Silva e EE Luciano Ivo Tognetti; SESI, Colégio Objetivo, CEDESC e APAE.

A concentração para saída do desfile será no cruzamento da Rua Cândido Rodrigues com a Rua Arthur Whitacker, às 9h. O desfile será aberto com alunos do PROERD e policiais militares. Também haverá a participação dos grupos do Acalanto, da Terceira Idade e Projeto Criança.
O trajeto segue o mesmo dos últimos anos, descendo pela Arthur Whitacker, com parada em frente ao Jardim Velho, onde estará montado um palco para uso da solenidade e canto do hino nacional e hino da cidade. O desfile segue até o encontro das ruas Orderigo Gabrielli e Barão do Descalvado [esquina de baixo do Fórum].

07 de Setembro – Dia da Independência do Brasil
A Independência do Brasil é celebrada em todo dia 07 de setembro desde a época do Primeiro Império, que a cada ano, rememorava a ocasião em que o país se tornou independente de Portugal, no ano de 1822. O processo de independência do Brasil teve como principais atores históricos, além do príncipe regente D. Pedro [que se tornou o imperador D. Pedro I], alguns representantes da elite interessada na ruptura entre Brasil e Portugal. Entre esses representantes, encontrava-se aquele que também se tornou um dos maiores articuladores do Império, José Bonifácio de Andrada e Silva.

De certa forma, a possibilidade de um “Brasil independente” remonta à época da vinda da família real para o Brasil em 1808, acontecimento que inaugurou em nosso país o chamado Período Joanino.

D. João VI veio com sua corte para o Brasil por ter se recusado a ser conivente com a política do Bloqueio Continental, imposta por Napoleão Bonaparte contra o Reino Unido. Como Portugal possuía importantes acordos econômicos com os ingleses, D. João VI achou por bem desobedecer às ordens do imperador francês e abandonar a Península Ibérica, sendo escoltado por navios ingleses até a costa brasileira.

Nessa época, o Brasil foi alçado à condição de Reino Unido, junto a Portugal e Algarves, deixando assim a condição de ser colônia. Muitas das ações empreendidas por D. João VI no Brasil durante o período em que aqui esteve [1808-1821] colaboraram para que o país ganhasse uma relevância que ainda não possuía. Essa relevância tinha dimensões econômicas, políticas e culturais. Entretanto, nos anos que seguiram após o fim da Era Napoleônica [1799-1815], Portugal passou por intensas turbulências políticas. Essa situação exigiu a volta do rei D. João VI com sua corte, em 1821.

Dia do Fico
O rei português deixou no Brasil como seu representante D. Pedro, seu filho, que recebeu o título de príncipe regente. Durante o ano de 1821 e até os primeiros dias do mês de setembro de 1822, as turbulências políticas de Portugal fizeram-se refletir também no Brasil. As assembleias que ocorriam em Lisboa [que contavam também com representantes brasileiros] ganhavam pautas que defendiam o retorno de Portugal como o centro político do referido Reino Unido e, por consequência, a submissão do Brasil à sua posição.

Ao mesmo tempo, em terras brasileiras, o príncipe regente, orientado por representantes das elites políticas locais, promovia uma série de reformas que desagradavam as elites lusitanas. As ações de D. Pedro mobilizaram a corte portuguesa a pedir a sua volta imediata para Portugal no início de 1822. D. Pedro recusou-se a abandonar o Brasil e, em 09 de janeiro, optou pela sua permanência no país. Esse dia ficou conhecido como Dia do Fico.

Grito da independência
As indisposições entre Portugal e Brasil continuaram ao longo do primeiro semestre de 1822. Esse período de intensas discussões e propostas direcionadas à efetivação da independência foi exaustivamente estudado por muitos historiadores, tanto portugueses quanto brasileiros. No Brasil, destacam-se os nomes de Oliveira Lima e Nelson Werneck Sodré. No mês de setembro, as cortes portuguesas deram um ultimato para D. Pedro voltar para Portugal, sob ameaça de ataque militar.

O príncipe que estava em viagem ao estado de São Paulo recebeu a notícia e, antecipando uma decisão que já estava quase nas “vias de fato”, declarou o país independente às margens do rio Ipiranga, no dia 07. Esse gesto implicaria a futura organização do país enquanto nação e enquanto império, um projeto que não seria fácil de ser conduzido.
[*Brasil Escola]





Voltar




 
















Notícias
Descalvado
Câmara Municipal
Esporte
Notas Policiais
Região
Brasil e Mundo
Geral
Música
Fotos
Canais
Conheça Nossa Cidade
Boca no Trombone
Horóscopo do Dia
Previsão do Tempo
Guia Rodoviário
Política Agora
Blogs e Colunas
Cozinhando com Aline
Marcos Felipe Chiaretto
Mexa-se
Utilidade Pública
Farmácia de Plantão
Balcão de Empregos
Notas de Falecimento
Guia Comercial
Consulte Multas
Interativo
Fale Conosco
Sugestão de Matérias
Anuncie no Descalvado Agora
Empregos
Fale Conosco
Descalvado Agora 2009-2018 - Todos os direitos reservados