Descalvado, 16 de Dezembro de 2018 Busca:   
Descalvado

Suspeita de morte por H1N1 - Secretaria de Saúde aguarda resultado

06/06/2018

Homem de 58 anos faleceu no último sábado [2] em São Carlos. Morador do Bairro do Tamanduá estava internado desde a quinta-feira; esposa da vítima também apresentou sintomas da doença e está internada desde a última segunda-feira.


A Secretaria de Saúde de Descalvado está aguardando o resultado de um exame encaminhado ao Instituto Aldolfo Lutz, em São Paulo, para confirmar ou descartar se o homem de 58 anos que faleceu no último sábado, em São Carlos, foi vítima da gripe H1N1.

No dia 28 de maio, o homem procurou por atendimento médico na Unidade de Saúde da Família do Bairro Bosque do Tamanduá [na mesma região onde morava], queixando-se de alguns sintomas parecidos com o de uma forte gripe. Na quinta-feira, dia 31, o homem voltou a procurar por atendimento, mas desta vez no Pronto Socorro Municipal, momento em que a equipe de profissionais suscitou a possibilidade de contaminação pelo vírus influenza, determinando sua internação imediata em uma área isolada da Santa Casa de Descalvado. Na madrugada de sexta para sábado, o quadro de saúde da vítima piorou, sendo necessária sua transferência para uma Unidade de Terapia Intensiva [UTI] de São Carlos, onde ele veio a falecer em decorrência de uma parada cardiorrespiratória.

ALERTAS - A Secretaria de Saúde vem emitindo alertas sobre a circulação dos vírus H1N1 em Descalvado desde o início do mês passado. Com dois outros casos suspeitos divulgados, os resultados dos exames encaminhados ao Adolfo Lutz deram positivo para um paciente, e negativo para o outro. Outros três resultados estão sendo aguardados: o do paciente que veio a óbito, o da sua esposa e o de outra mulher, de 45 anos.

MAIS DOIS PACIENTES INTERNADOS DURANTE A SEMANA - Nesta segunda-feira [4], a esposa do homem que faleceu no sábado também foi internada com sintomas da doença. A mulher de 60 anos é diabética, fato que requer ainda mais cuidados. Uma segunda paciente também está internada em uma área isolada da Santa Casa de Descalvado, com suspeita da doença. A mulher de 45 anos é moradora do Bairro Jardim Colonial.

Ambas as pacientes tiveram material recolhido e encaminhado para exames no Instituto Adolfo Lutz, para confirmar ou não a suspeita da doença.

SOBRE O INFLUENZA - A gripe H1N1 consiste em uma doença causada por uma mutação do vírus da gripe. Também conhecida como gripe suína, o H1N1 é um subtipo do ‘Influenza A’, que se tornou conhecido quando afetou grande parte da população mundial entre 2009 e 2010.

Os sintomas da gripe H1N1 são bem parecidos com os da gripe comum e a transmissão também ocorre da mesma forma. O problema da gripe H1N1 é que ela pode levar a complicações de saúde muito graves, podendo levar os pacientes até mesmo à morte.

O período de incubação do vírus é de três a cinco dias, quando começa a manifestação dos sintomas. Porém, também é possível que uma pessoa tenha a doença de uma forma assintomática, sem apresentar nenhuma reação. Durante o período de incubação ou em casos de infecções assintomáticas, o paciente também pode transmitir a doença. O período de transmissão do vírus em crianças é de até 14 dias, enquanto que nos adultos é de até sete dias. A doença pode começar a ser transmitida até um dia antes do início do surgimento dos sintomas. O período de maior risco de contágio é quando há sintomas, sobretudo febre.

CAMPANHA DE VACINAÇÃO - O Ministério da Saúde [MS] prorrogou a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe até o dia 15 de junho. A decisão foi motivada pelos efeitos da paralisação dos caminhoneiros no atendimento em saúde. Inicialmente, o fim da campanha estava previsto para o dia 1° de junho.

O público-alvo da campanha inclui idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a cinco anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas [mulheres em até 45 dias após o parto], pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Em muitos municípios, a meta de imunização ainda está muito abaixo do recomendado, fato que pode colaborar para a propagação da doença.

Em Descalvado, a Secretaria de Saúde informou que até esta quinta-feira [7], a taxa de imunização de crianças na faixa de 6 meses à 2 anos está em 83%; entre 2 e 5 anos 57%; trabalhadores da saúde 110%; gestantes 87%; puérperas 88%; idosos 88%; professores 97%. No total geral, o índice está em 86%, sendo que a meta é de 90%.





Voltar




 
















Notícias
Descalvado
Câmara Municipal
Esporte
Notas Policiais
Região
Brasil e Mundo
Geral
Música
Fotos
Canais
Conheça Nossa Cidade
Boca no Trombone
Horóscopo do Dia
Previsão do Tempo
Guia Rodoviário
Política Agora
Blogs e Colunas
Cozinhando com Aline
Marcos Felipe Chiaretto
Mexa-se
Utilidade Pública
Farmácia de Plantão
Balcão de Empregos
Notas de Falecimento
Guia Comercial
Consulte Multas
Interativo
Fale Conosco
Sugestão de Matérias
Anuncie no Descalvado Agora
Empregos
Fale Conosco
Descalvado Agora 2009-2018 - Todos os direitos reservados