Descalvado, 18 de Novembro de 2018 Busca:   
Região

Hospital Escola ligado à UFSCar pode fechar as portas por falta de verbas

26/06/2013

Sem receber verbas da Prefeitura desde janeiro, o Hospital Escola, ligado à Universidade Federal de São Carlos(UFSCar), corre o risco de fechar as portas na próxima segunda-feira (1º). Segundo o diretor executivo da unidade, Sérgio Luiz Brasileiro Lopes, o material médico hospitalar e os medicamentos do estoque só são suficientes até o final de semana. “Nossa situação é desesperadora”, falou Lopes em entrevista exclusiva ao G1, na terça-feira (25). A Prefeitura disse que não vai se manifestar sobre o assunto.

De acordo com o contrato de gestão do hospital, a Prefeitura deveria repassar uma verba fixa de R$ 326 mil por mês, além de um valor variável de R$ 102,6 mil mensais que depende da comprovação do cumprimento dos requisitos previstos. A unidade recebe ainda R$ 700 mil do Ministério da Saúde para se manter. “Mas essa verba fixa só foi repassada até abril, quer dizer, maio e junho não recebemos nada. E a verba variável não é repassada desde janeiro. Isso inviabiliza integralmente todas as atividades”, afirmou Lopes.

O hospital tem um custo fixo de R$ 983 mil por mês. “Em maio, por exemplo, as despesas de custeio – que inclui a despesa com os terceirizados - foi de R$ 195.248; e a despesa com folha de pagamento foi de R$ 787.798, ou seja, se tivéssemos recebido o repasse corretamente, ainda teríamos 13% para investimentos. Mas, desta forma, nem a folha de pagamento conseguimos cumprir”, explicou o diretor.

O Hospital Escola de São Carlos (SP) atende 310 pessoas por dia e está com os 14 leitos adultos e os seis pediátricos totalmente ocupados. Com a falta de medicamentos, o atendimento terá que ser interrompido e os pacientes transferidos. “A gente tem que, minimamente, garantir assistência para esses internados e a nossa intenção é encaminhá-los à Santa Casa”, falou Lopes.

“Nós tínhamos um estoque para mais ou menos 45 dias. Ele foi consumido ao longo do período e agora dependemos de empréstimos de insumos, que são materiais hospitalares, mais medicamentos. Na verdade, estamos sobrevivendo apenas”, disse.Sobrevivência
Segundo o diretor executivo, desde que a Prefeitura deixou de repassar as verbas, a unidade sobrevive de empréstimos.

Sem diálogo
A falta de diálogo com a Prefeitura deixa a situação ainda mais tensa. Na terça-feira (25), Lopes se reuniu com três vereadores da Comissão de Saúde e mais seis vereadores para expor o problema. “Falamos sobre o aumento da demanda, custeio e as questões de RH. Deixamos claro que o hospital não consegue sobreviver sem o repasse municipal. Agora nossa esperança é que o prefeito entenda que sem o repasse, não temos como continuar”, relatou Lopes.

As contas são avaliadas trimestralmente, conforme o contrato, por uma comissão externa. A última, avaliada em janeiro, foi aprovada. Em abril, nós apresentamos, mas não tivemos o retorno se ele [o prefeito] teve ciência”, falou. “E quando a gente pede oficialmente, ele simplesmente não responde aos ofícios”, destacou. O prefeito Paulo Solução emergencial

Para o diretor, a única maneira de manter as portas do Hospital Escola abertas é fazer um novo estoque até o final da semana. “O que nós estamos pedindo é que o prefeito repasse o valor que ele bem entenda. A gente quer ouvi-lo, o que nós não podemos é ficar em um nível político de discussão”, afirmou.

Além da falta de medicamentos, o salário dos funcionários foi pago até este mês com atraso. “E, ainda assim, estamos atrasando os encargos da folha de pagamento, como INSS, FGTS, e a gente vai ter que pagar multa. Então, a paralisação de atendimento não é vontade nossa, é necessidade em respeito à legislação de saúde. Não podemos fazer de conta que estamos cuidando da saúde. Ou fazemos um tratamento digno e decente, ou então fechamos as portas”, finalizou.

Nota
Em nota, o reitor da UFSCar, Targino de Araújo Filho, confirmou que o projeto da universidade para a área está em risco e também reclama da falta de diálogo e de contribuição do prefeito Paulo Altomani para a resolução do problema.

http://www.reporternaressi.com.br/


Voltar




 
















Notícias
Descalvado
Câmara Municipal
Esporte
Notas Policiais
Região
Brasil e Mundo
Geral
Música
Fotos
Canais
Conheça Nossa Cidade
Boca no Trombone
Horóscopo do Dia
Previsão do Tempo
Guia Rodoviário
Política Agora
Blogs e Colunas
Cozinhando com Aline
Marcos Felipe Chiaretto
Mexa-se
Utilidade Pública
Farmácia de Plantão
Balcão de Empregos
Notas de Falecimento
Guia Comercial
Consulte Multas
Interativo
Fale Conosco
Sugestão de Matérias
Anuncie no Descalvado Agora
Empregos
Fale Conosco
Descalvado Agora 2009-2018 - Todos os direitos reservados